Escolher idioma

Blog da CommScope

Ciúmes da conectividade

Publicado por Adam Alexander em 28 de junho de 2017

Connectivity_Young_manOne of the things I enjoy most about working at CommScope is interacting with smart people who are among the best in the world at what they do. I’ve learned a lot about cutting edge antennas, the difference between fiber backhaul and microwave backhaul, as well as latency, PIM and other issues that dictate a user’s experience.  However, I was reminded that despite all I’ve learned working at CommScope, I remain a mere consumer of wireless services -- especially at the mercy of a service provider’s infrastructure decisions and local investments.  

Let me explain. I was with my family on a Spring Break ski trip in an unnamed town in the Rockies. I was there the previous summer and experienced very few wireless connectivity challenges in the area. But, I was surprised when it quickly changed during this spring break visit. I was frequently confronted with the dreaded "No Service" message. Occasionally, one of the five dots on the iPhone signal strength indicator would appear. That was usually sufficient for a phone call to go through -- if I stood still. The signal was stronger inside the town's business district, but not in the greater area where most locals lived and tourists stayed.


O que é necessário para criar um data center de ponta?

Publicado por Craig Culwell em 26 de junho de 2017

Data_Center_NetworkSe você é um fornecedor de serviços que está pensando em construir um ambiente de data center de ponta em seu escritório central, você pode se surpreender com sua complexidade. Como a maioria dos projetos que envolvem equipamentos eletrônicos sensíveis, um data center de ponta requer muita preparação e planejamento para garantir seu sucesso.

A primeira consideração é onde você planeja localizar o seu data center de ponta. Já que o equipamento de computação em nuvem de ponta é delicado e caro, ele deve ser isolado em um ambiente com controle confiável de aquecimento, refrigeração e umidade. Além disso, o ambiente também deve ter precauções de segurança adicionais, um firewall e, de preferência, um sistema de supressão de fogo e gases inertes.

 


O mercado wireless no CALA está indo para dentro de casa

Publicado por Luciano Adami em 25 de junho de 2017

CALA-IBWPassamos muito do nosso tempo dentro de edifícios, seja em escritórios, escolas, lares ou locais de entretenimento. Esperamos contar com uma conexão wireless sempre. Mas, muitas vezes, a conexão é fraca ou intermitente quando estamos no interior. Isso pode ser um problema de verdade para os operadores de rede que tentam garantir uma alta qualidade de serviço para os clientes.

Recentemente, conheci muitos provedores de serviços wireless da região do Caribe e América Latina (CALA). Atualmente, a maioria desses operadores usa infraestrutura externa como sua primeira abordagem para tentar resolver seus problemas de conectividade interna. Embora existam alguns exemplos de lugares com soluções internas wireless, principalmente estádios e locais de alto tráfego, muitos deles foram resolvidos com soluções passivas. CALA ainda não está no ponto de inflexão para soluções wireless internas de ampla escala, dedicadas e ativas… mas estará um dia.


Grandes progressos nas funções do provedor de serviço

Publicado por Jerson Calderon em 23 de junho de 2017

Connectivity_highwayTudo tem a ver com conectividade. Uma nova geração móvel está nos mostrando uma tendência que ocorre mais ou menos a cada 10 anos. Começou em torno de 1981 com a primeira mudança de 1G até 2012 com o 4G. Basta observar esses progressos:

  • 2G - A era de passar do analógico para o digital, proporcionando uma vantagem das chamadas telefônicas digitais livres de ruído estático e de fundo.
  • 3G - Telefonia de voz wireless, acesso à internet móvel, acesso fixo à internet wireless, vídeo-chamadas e a primeira incursão em TV móvel. Então, pela primeira vez, as tecnologias wireless avançadas como a MIMO abriram as portas para o 4G avançado.
  • 4G - Esta se torna a era dos serviços de jogos, TV móvel de alta definição, conferência entre locais. As pessoas começam a mudar para smartphones e as chamadas de voz tradicionais são substituídas pela telefonia IP devido a uma tecnologia de rede com comutação de pacotes.
  • 5G - Enquanto os predecessores do 5G têm vantagens e desvantagens específicas, cada passo nesta evolução requer, em algum ponto, largura de banda, desempenho, segurança e continuidade de comunicação. Cirurgias remotas, drones e aplicações de segurança pública são exemplos dos requisitos de baixa latência e alta confiabilidade do 5G.

Os cinco principais recursos do novo CommScope.com

Publicado por Keri Becker em 22 de junho de 2017

Top_5

Nosso objetivo é oferecer sempre uma excelente experiência de usuário no commscope.com. A web é uma coisa viva e, para responder às necessidades em constante mudança de nossos clientes, sempre revisamos o comportamento do usuário e melhoramos continuamente. Nossas equipes de marketing digital e TI trabalham em estreita colaboração para impulsionar esses esforços.

Dê uma olhada nesses números de Joanna Ofiara, gerente de soluções de produtividade na web. Nosso website tem 85 peças e dezenas de milhares de páginas e ativos. Isso é muito para atualizar!


NFV e SDN estão forçando grandes mudanças no escritório central

Publicado por Hans-Jürgen Niethammer em 21 de junho de 2017

Traffic_Control_SDNA virtualização de funções da rede (NFV) e a rede definida por software (SDN) são duas tecnologias vinculadas que têm o potencial de aumentar a capacidade da rede, melhorar o atendimento ao cliente e aumentar a rentabilidade da rede. Elas fazem isso através de maior automação e eficiência, cada uma em sua própria camada de infraestrutura.

Não é de admirar que sejam um assunto tão importante entre operadoras wireless, fabricantes de equipamentos originais, integradores de sistemas, desenvolvedores de software de terceiros, órgãos de padrões e iniciativas de código aberto. Há muito interesse.

Mas à medida que as redes do mundo se deslocam para um modelo de fornecimento mais baseado em virtualização, o que acontece com os escritórios centrais? A resposta breve é que se está forçando o rápido desenvolvimento de uma nova abordagem arquitetônica caracterizada por duas tendências relacionadas. Primeiramente, o uso de data centers de pequeno porte (às vezes chamados de "pods") em locais estratégicos de borda; E em segundo lugar, a adoção de infraestrutura de fibra óptica de alto desempenho para conectá-los. A fase final é uma rede tão profundamente virtualizada que a distinção entre redes com fio e wireless deixará de ser aplicável.


A tendência são os data centers multi-tenant

Publicado por Dave Tanis em 19 de junho de 2017

Data center MTDC_3_whiteSe você ainda não sabe, a CommScope anunciou na semana passada a formação de uma aliança de data center multi-tenant (MTDC). Você pode perguntar por que isso é importante?

É simples: a quantidade de dados que consumimos diariamente e a contínua terceirização de data centers aumentam a necessidade de MTDCs. Uma mudança ocorre nas empresas que estão terceirizando cada vez mais as necessidades de TI de ambientes compartilhados, de modo que os data centers possam ser vistos como uma despesa operacional.

Os MTDCs são uma maneira inteligente de aumentar as capacidades de sua infraestrutura de TI de colocalização e controlar os custos ao mesmo tempo. A formação de uma aliança de MTDC como parte da PartnerPRO Network é fundamental porque os membros poderão oferecer soluções de infraestrutura de rede da CommScope para clientes que precisam implantar esta tecnologia em ambientes multi-tenant.


Cada vez mais alto: de drones a data centers

Publicado por Ricardo Diaz em 18 de junho de 2017

DroneFato pessoal divertido: quando não dou uma de nerd de rede no trabalho, adoro fotografia ao ar livre. As vistas panorâmicas onde vivemos rendem umas fotos realmente lindas. Nasceres-do-sol, topos de montanha cobertos de nevoeiro.

Recentemente, decidi investir em uma nova peça de equipamento fotográfico: um drone. Não qualquer drone mas, para a consternação de minha esposa, um dos melhores produtos da linha DJI Mavic Pro. Ele tem vídeo 4k, transmissão OcuSync com 7 km de alcance, posicionamento GPS e GLONASS. Naquele primeiro domingo de manhã com meu novo brinquedo, eu era como um garoto no dia de Natal. Desembalei-o, carreguei a bateria, abri o manual e... ah, quem precisa de um manual? Eu sou o cara, consigo sozinho.

Infelizmente, assim que ele decolou, aquilo estava além das minhas capacidades. Havia uma série de controles de entontecer: rotação de câmera, velocidade de avanço, conectividade de voo, sensores de obstáculos, altitude, rastreamento de objeto e muito mais. Era bem mais complexo do que o previsto. Enquanto observava meu brinquedo de US$ 1,3 voando em direção à árvore mais próxima, pensei, "é como tentar gerenciar um data center corporativo atual".


Como a fibra óptica tornou o mundo das comunicações melhor?

Publicado por Joseph Coffey em 16 de junho de 2017

Esta publicação de blog é parte da nossa série de blogs: Sexta-feira da fibra. Nossos especialistas no assunto fornecerão percepções sobre o mundo da fibra óptica, cobrindo vários tópicos da indústria.

Você consegue acreditar em quanto as comunicações cresceram nas últimas décadas? Os telefones rotativos deram lugar aos telefones sem fio e smartphones. A televisão básica (onde você precisava ajustar a antena orelha de coelho) deu lugar à televisão a cabo e transmite qualquer conteúdo que você quiser, sempre que quiser.

Uma coisa que ajudou na evolução das comunicações foi a implantação de cabos de fibra óptica. A fibra transformou o telefone celular em um computador portátil que não só pode fazer chamadas, mas tirar e compartilhar fotos, transmitir vídeos e outras coisas incríveis.

Neste vlog, explico como a fibra óptica mudou as comunicações e o mundo em que vivemos, fornecendo os dados que tão desesperadamente necessitamos.


Fazendo a mudança: lidando com migração de alta velocidade

Publicado por Hans-Jürgen Niethammer em 15 de junho de 2017

HSM ArchitectureÉ uma verdade aceita na indústria que os requisitos de largura de banda do data center devem aumentar de 25 a 35% por ano em um futuro previsível. Pronto ou não, isso significa que a migração de alta velocidade está aqui, e se você já não está no meio dela, estará em breve.

As velocidades de comutação são a chave. As portas 40G que fornecem quatro conexões de servidor 10G estão cada vez mais sobrecarregadas, e esse é o principal motivo pelo qual os data centers estão mudando para as comutações 25G e 50G a fim de manter a demanda.


1 2 3 4 5 6 7 8 9  ... Anterior Próximo