Artigo técnico: Migração de alta velocidade

Migração de alta velocidade do data center: Problemas de infraestrutura, tendências, motivações e recomendações

No centro de dados, a velocidade é Everything. O desafio é look ahead e para saber o que você tem que ser preparado entreg-no futuro imediato e mais tarde em-e para fazer um mapa para a frente do curso o mais expediente e o mais flexível. Mais rapidamente as tecnologias disponíveis e os padrões aplicáveis evoluem, mais duro o trabalho torna-se.

As tendências recentes do centro de dados continuam a predizer 25 ao crescimento anual dos por cento de 35 em exigências do tráfego e da largura de faixa do dados-centro. Esta demanda para mais capacidade da rede pode somente ser suportada por um deslocamento a umas velocidades mais elevadas do switching, que seja precisamente o que está acontecendo agora no mercado. De acordo com o grupo de Dell' Oro, os shipments de portos de 25 Gbps e de 100 Gbps aumentaram a mais de um milhão no primeiro quarto de 2017. Dell' Oro prediz que rendimento do interruptor do Ethernet continuará a crescer através do fim da década, com uma parte grande alocada a 25G e a 100G ports.1

As estratégias da migração estão evoluindo também. O affordability crescente do interruptor 100G ligação-multimode e singlemode-está permitindo muitas companhias de atualizar suas redes do interruptor de 10G diretamente a 100G, saltando 40G completamente. O deslocamento às pistas 25G é bom underway também, com os interruptores 25G-lane que tornam-se mais commonplace.

Olhando adiante, as capacidades da pista esperam-se continuar dobrando, alcançando 100G por 2020 e permitindo a geração seguinte das ligações de alta velocidade para interruptores da tela.

Um número de fatores estão dirigindo o surge em velocidades do throughput do centro de dados.

  • As densidades do usuário estão aumentando por por cento de aproximadamente 20 um o ano.
  • As potencialidades do processador estão crescendo, com Intel que anuncia recentemente um processador de 22 núcleos.
  • A densidade do Virtualization está aumentando por 30 percent2, que está dirigindo as velocidades do uplink aos interruptores.
  • O tráfego East-west no centro de dados surpassed distante o volume de traffic3 north-south.

atual “a idéia que vai para a frente é empurrar pistas para velocidades de 25 Gb/sec, como a colheita de interruptores do Ethernet está fazendo, e então rampa até pistas de 50 Gb/sec e então pistas de 100 Gb/sec e mantem a contagem para baixo ao redor oito da pista. ” - A plataforma seguinte, março de 2016

O projeto de rede tem que refletir esta quantidade maciça de tráfego, e, importante, tem que permitir o usuário, a capacidade do armazenamento e da rede a toda seja escalada acima de independentemente e com como poucos rompimento e reconfiguration como possível. Em conseqüência, os profissionais do centro de dados devem suportar umas densidades mais elevadas do usuário, para desdobrar mais fibra e aceleram plantas para migrar a umas velocidades mais elevadas em suas redes do núcleo e do aggregation. O infrastructure da rede dentro do centro de dados deve escala para suportar estas mudanças significativas.

Adoption de o “de arquiteturas de rede tais como o spine e a folha… estão dirigindo não somente a demanda da largura de faixa, mas também a escala da rede, requerendo uma contagem mais grande da fibra para o infrastructure cabografando. ” - Jornal do centro de dados, 25 de abril de 2016

Arquitetura de rede em mudança

A mudança no tráfego e no sentido do centro de dados requer um projeto de rede que acomode o aumento rápido do tráfego east-west dos dados. A arquitetura tradicional do centro de dados usou uma topologia da três-camada (figura 1). A camada do núcleo, situada tipicamente na área de distribuição principal (MDA), conecta os vários interruptores da rede a se e às fontes da rede fora do centro de dados.

Figura 1: Topologia tradicional da três-camada

HSM_WP-110615-EN_Figure_1.jpg

A camada do núcleo alimenta a camada do aggregation, conectando os vários interruptores de acesso. Em centros de dados grandes da empresa e da nuvem, a camada do aggregation é ficada situada geralmente na área de distribuição intermediária (IDA). Em facilidades menores, é tipicamente a área de distribuição horizontal (TEVE) ou a área de distribuição do equipamento (EDA). A rede de acesso conecta recursos do armazenamento e do cálculo no centro de dados.

O projeto deste modelo fornece uma fundação predictable para uma rede scalable do centro de dados mas é mais menos do que ideal quando vem a suportar a baixo-latência de hoje, virtualized aplicações. Em conseqüência, houve um deslocamento rápido e dramático à arquitetura do “folha-e-spine” (figura 2). O modelo do folha-e-spine optimized para mover dados em um fluxo east-west, permitindo usuários de cooperar em entregar aplicações nuvem-baseadas. Nesta topologia, as redes são espalhadas através dos interruptores do múltiplo folha-e do spine, fazendo a camada do interruptor do folha-e-spine crítica para entregar a escala máxima e o desempenho.

Cada interruptor da folha é conectado a cada interruptor do spine, criando um altamente resilient algum-à-alguma estrutura. O engranzamento das ligações da fibra cría um recurso ou uma “tela high-capacity” da rede que sejam compartilhados com todos os dispositivos unidos. Todas as conexões da tela funcionam na mesma velocidade. Mais elevada a velocidade, mais elevada a capacidade da rede do engranzamento, chamou frequentemente da “uma rede tela.”

As redes da tela requerem um grande número conexões da fibra, particularmente na camada do folha-interruptor. Os vendedores do equipamento trabalham continuamente para aumentar a densidade de sua linha cartões a fim manter o ritmo. Com a densidade crescente, o connectivity e a gerência cabografando tornam-se mais importantes.

As redes da tela requerem as ligações de alta velocidade através do engranzamento inteiro, que mede frequentemente o centro de dados inteiro. Desdobrar mais ligações com velocidades mais elevadas e alcance mais longo transformou-se o normal novo para projetos de rede físicos.

Figura 2: spine-folha da Dois-camada

HSM_WP-110615-EN_Figure_2.jpg

Padrões em desenvolvimento

As organizações de padrões das aplicações, a saber o IEEE 802,3 (Ethernet) e ANSI/T11 (comitês da canaleta da fibra) foram ocupadas atualizar os guidelines recomendados a fim manter o ritmo com os aumentos rápidos na largura de faixa. O objetivo destes grupos dos padrões não é justo facilitar a evolução à linha crescente taxas; incentivam também o desenvolvimento das aplicações da elevado-velocidade que aumentarão a eficácia de custo das ligações entre o equipamento do centro de dados. A esta extremidade, um número de velocidades intermediárias estão sendo desenvolvidas para encher a abertura entre 10G, 40G, 100G e 400G. A tabela 1 alista os vários padrões do Ethernet. Aqueles no processo são destacados ainda no roxo.

Tabela 1 - Fibra do Ethernet de IEEE 802,3 padrão-terminada e em andamento (ROXO)

Aplicação

Padrão

Referência de IEEE

Meios

Velocidade

Distância do alvo

 

 

 

Ethernet 10-Gigabit

10GBASE-SR

 

 

802.3ae

MMF

 

 

 

10 Gb/s

33 m (OM1) a 550 m (OM4)

10GBASE-LR

SMF

10 quilômetro

10GBASE-LX4

MMF

300 m

10GBASE-ER

SMF

40 quilômetro

10GBASE-LRM

802.3aq

MMF

220 m (OM1/OM2) a 300 m

(OM3)

Ethernet 25-Gigabit

25GBASE-SR

P802.3by

MMF

25 Gb/s

70 m (OM3) 100 m (OM4)

 

 

Ethernet 40-Gigabit

40GBASE-SR4

 

 

 

 

 

 

802.3bm

MMF

 

 

40 Gb/s

100 m (OM3) 150 m (OM4)

40GBASE-LR4

SMF

10 quilômetro

40GBASE-FR

SMF

2 quilômetro

40GBASE-ER4

SMF

40 quilômetro

 

 

Ethernet 100-Gigabit

100GBASE-SR10

MMF

 

 

100 Gb/s

100 m (OM3) 150 m (OM4)

100GBASE-LR4

SMF

10 quilômetro

100GBASE-SR4

SMF

70 m (OM3) 100 m (OM4)

100GBASE-ER4

SMF

40 quilômetro

 

 

 

 

 

50Gm 100G e 200G

50GBASE-SR

 

 

 

 

 

802.3cd

MMF

 

 

50 Gb/s

100 m (OM4)

Ethernet

SMF

2 quilômetro

50GBASE-LR

SMF

10 quilômetro

100GBASE-SR2

MMF

 

 

100 Gb/s

100 m (OM4)

100GBASE-DR2

SMF

500 m

100GBASE-FR2

SMF

2 quilômetro

200GBASE-SR4

MMF

 

 

200 Gb/s

100 m (OM4)

 

 

Ethernet 200-Gigabit

200GBASE-DR4

 

 

 

 

 

P802.3bs

SMF

500 m

200GBASE-FR4

SMF

2 quilômetro

200GBASE-LR4

SMF

10 quilômetro

 

 

Ethernet 400-Gigabit

400GBASE-SR16

MMF

 

 

400 Gb/s

70 m (OM3) 100 m (OM4)

400GBASE-DR4

SMF

500 m

400GBASE-FR8

SMF

2 quilômetro

400GBASE-LR8

SMF

10 quilômetro

 

Opções para a migração

A migração circunvizinha da discussão para alinhar mais altamente taxas é complexo e ràpidamente evoluir. Inclui uma escala larga das decisões a respeito do tipo da fibra, a modulação e os esquemas de Transmission, as configurações do conector e, naturalmente, as considerações do custo. A figura 4 mostra um trajeto possível da migração, mas há muitos outros. Determinar que for o mais melhor para todo o ambiente dado significa com cuidado considerando cada aspecto. Os seguintes são justos algumas de muitas edições que devem ser pesadas.

Figura 4: ligação 40GBASE-SR4 com sistema ótico paralelo no interruptor e no usuário

HSM_WP-110615-EN_Figure_4.jpg

pistas 40G ou 25G?

Até recentemente, o mapa de estrada aceitado da migração esboçou um salto predito das pistas 10G a 40G. Desde a aprovaçã0 do padrão de IEEE 802.3by, a indústria deslocou às pistas 25G como a tecnologia seguinte do switching. Isto é pela maior parte devido ao fato que as pistas 25G mais novas oferece a migração fácil a 50G (2x25G) e 100G (4x25G), e, a pouca extensão, a utilização melhorada do silicone do switching na rede comuta. Usar um porto da rede em 25G contra 10G fornece mais capacidade para o mesmos capital e custos operando-se. as pistas 25G permitem também agrupar limpo e lógico para a sustentação das velocidades 100G, 200G e 400G.

Esquemas da modulação

Os esquemas novos, mais eficientes da modulação estão também agora disponíveis. a modulação da Pulso-amplitude com quatro níveis de amplitude (PAM-4) foi proposta para as ligações óticas, dentro do centro de dados e entre facilidades múltiplas do centro de dados. Como mostrado na figura 5, PAM-4 usa quatro amplitudes de pulso distintas aos dados de Transmit. Comparado a NRZ tradicional, PAM-4 permite duas vezes a capacidade de Transmission na mesma taxa sinalizando. O downside, entretanto, é que requer uma relação mais elevada do à-ruído do sinal (SNR), que ponha umas exigências mais estritas sobre o infrastructure físico suportando. Ainda, seus simplicity e consumo de potência baixo fazem PAM-4 um das técnicas as mais prometedoras da modulação para 100G e além.

Figura 5: 6-4 e modulação de NRZ

HSM_WP-110615-EN_Figure_5.jpg

Tecnologia do transceptor

Além a uma modulação mais avançada planeja aumentar velocidades da canaleta, várias técnicas multiplexing de divisão de wavelength (WDM) estão sendo tornados para aumentar o número dos wavelengths transmitidos em cada fibra. O WDM foi usado por mais de duas décadas aumentar taxas de dados em redes do long-haul reduzindo contagens da fibra. Foi usado também em aplicações do Ethernet do singlemode, tais como 10GBASE-LR4 e 100GBASE-LR4, que combinam quatro wavelengths na mesma fibra usando a tecnologia grosseira do WDM. Este conceito foi estendido também à fibra multimode usando uma técnica sabida como o WDM ou o SWDM do shortwave. Como mostrado na figura 6, SWDM utiliza wavelengths de 850 nanômetro a 940 nanômetro.

Figura 6: SWDM que combina quatro wavelengths de 850 nanômetro a 940 nanômetro

HSM_WP-110615-EN_Figure_6.jpg

Transmission de série ou paralelo?

Porque mais aplicações exijindo dirigem taxas de dados mais altamente, o mercado gravitating também para paralelizar o sistema ótico. Esta tendência é suportada pela demanda consistente para troncos MPO-baseados, um grampo do centro de dados para mais do que uma década. Usando a fibra multimode laser-optimized (LOMMF), o sistema ótico de série pode cost-effectively suportar velocidades até 10G. Historicamente, usar Transmission de série suportar 25G ou 40G requereu o switching a uns transceptores mais caros do singlemode. O sistema ótico paralelo, entretanto, fornece uma solução cost-effective migrando a 40G e permite que agrupar das pistas 25G entregue 100G. Entrementes, os trajetos futuros estão sendo estabelecidos para o Ethernet 200/400G no singlemode e na fibra multimode usando uma combinação de Transmission de série e paralelo.

O interruptor para paralelizar o sistema ótico está sendo acelerado pelo uso crescente de conectores de MPO. Em America do Norte, as vendas de conectores de 40/100GbE MPO são previstas para aumentar anualmente por cento de 15,9 com 2020, alcançando $126 milhão em 2020,4 entretanto, a tendência paralelizar o sistema ótico pode ebb e fluir enquanto as tecnologias novas são executadas que fazem o uso melhor de pares frente e verso.

Entrementes, as aplicações 100G frente e verso que usam quatro pistas 25G estão sendo dirigidas por tecnologias cost-effective tais como SWDM4. No futuro próximo, as pistas de 50G PAM-4 fornecerão também a fibra multimode do excesso 100G. SWDM4 e PAM-4 permitem economias adicionais, porque requerem poucas fibras do que um sistema ótico paralelo equivalente.

Figure 6a: Aplicações curtas do alcance 100G nos dados center  

HSM_WP-110615-EN_Figure_6a.jpg
* Largura de faixa OM3/OM4 modal eficaz especificada somente em 850nm

Preterminated contra cabos campo-terminados

A necessidade girar acima dos serviços do trabalho em rede rapidamente aumentou o valor e a demanda para preterminated sistemas cabografando. Por algumas estimativas, a potencialidade do plugue-e-jogo de preterminated cabos traduz às economias do tempo dos por cento de 90 contra um sistema terminado campo e é sobre por cento de 50 mais rapidamente quando vem à rede maintenance.5 que o valor cresce enquanto o número de conexões da fibra dentro da rede aumenta. os sistemas Fábrica-terminados são também a única solução viable aos sistemas extremamente low-loss que são requeridos para suportar as ligações óticas de alta velocidade. Entre preterminated soluções, fibra de MPO é o sistema de-facto para o singlemode e o connectivity multimode devido a seus desempenho elevado, facilidade de utilização, velocidade da distribuição e densidade cabografando.

Singlemode ou multimode

Uma das decisões as mais complexas que enfrentam gerentes do centro de dados for quando e onde desdobrar o singlemode ou as ligações multimode. O affordability do sistema ótico pluggable do singlemode continua a melhorar, permitindo o Ethernet 100G de capturar uma parte grande do mercado do porto do interruptor center de dados. Isto é verdadeiro de centros de dados do hyperscale e da empresa.

Mas a conversação a respeito dos três tipos de Transmission deve ir bem além do custo do sistema ótico pluggable. Deve incluir uma análise do custo total da canaleta, as well as o crescimento antecipado do centro de dados e de seu mapa de estrada da migração. Os seguintes são algumas das edições que devem ser consideradas e completamente compreendido antes de toda a decisão.

Figura 7: Única comparação de custo da ligação

HSM_WP-110615-EN_Figure_7.jpg

Figura 8: Estimando o comprimento de canaleta apropriado baseado na topologia.

HSM_WP-110615-EN_Figure_8.jpg
Fonte: Do sistema ótico 40G e 100G seguinte do Gen de IEEE 802,3 grupo de estudo;
maio de 2012

distâncias de Link: Os centros de dados de requerem geralmente um grande número ligações da rede com distâncias relativamente curtas. Isto faz a um custo mais baixo mais atrativo multimode, mas somente se pode suportar as velocidades que estarão requeridas como a rede evolui. Singlemode, na uma mão, é usado geralmente em facilidades da entrada do centro de dados e suas potencialidades interurbanas fazem-lhe a única escolha para as ligações entre centros de dados e metro/área de redes larga. No fato, muito o alcance longo, opções de alta velocidade está somente disponível no singlemode.

topologia de Network: centros de alguns dados pode ter usuários excedentes de 100.000 quando outro puder ter apenas alguns. Algum uso uma colocação centralizada do equipamento da rede quando outros distribuírem o equipamento do trabalho em rede durante todo o centro de dados. Estes projetam exigências e as escolhas determinam o número das ligações da rede e da distância que as ligações da rede devem suportar.

canaleta de Total custada: que compara custos da ligação entre tipos da rede envolve avaliar o custo dos transceptores da ligação, dos troncos e dos cabos de remendo inteiros. Uma variedade de custar modelos foi desenvolvida para ajudar comparar o custo relativo de tipos diferentes da ligação da rede. Alguns destes modelos, tais como esse ilustrado na figura 8, fornecem a orientação nos comprimentos apropriados da ligação baseados na topologia selecionada e são úteis quando o ligação-comprimento médio é desconhecido. Por exemplo, o modelo indica que os custos relativos do PMD canalizam A e B é igual em um comprimento de medidores de aproximadamente 230. Conseqüentemente, saber o comprimento da ligação permite-nos de determinar a solução do baixo-custo.

Quando o comprimento de canaleta médio é sabido, fazer uma comparação de custo exata entre tipos da ligação é mais fácil. Usando recursos dos dados tais como a carta na figura 7, o processo de avaliar custos totais relativos da canaleta é razoavelmente direto. A figura 7 compara os custos (transceptores, troncos e cabos de remendo) das várias ligações 100GBASE, de 50 aos medidores de 300 no comprimento. Este modelo compara também o sistema ótico 100GBASE-SWDM4 frente e verso com o OM5 que cabografa a 100GBASE-SR4 usando OM4. Entre outras coisas, mostra que a opção de SWDM fornece um custo importante muito mais baixo. Porque SWDM usa OM5 permite a sustentação 100G prolongada na fibra multimode. O anúncio recente de 100G eSWDM4 a 400m agora nos rivais OM5 que do sistema ótico curto da C.C. da manutenção programada do alcance gostam de PSM4.

Quando o custo de toda a ligação for comprimento-dependente, alguns têm um custo inerente mais elevado devido a um número aumentado das fibras, e esta diferença deve ser esclarecida na comparação. É também importante compreender que as ferramentas tais como aquelas mostradas nas figuras 7 e 8 se aplicam aos centros de dados da empresa. Não podem, entretanto, ser usados confiantemente comparar custos da ligação dentro de um ambiente do hyperscale. Isto é devido às exigências extremas do tamanho e da largura de faixa destas facilidades.

considerações de Other: em muitos casos, a distância da canaleta pode ser assim curto que o comprimento não é o custo determinando variável crítico. Nestes exemplos, a decisão a respeito do mais melhor meio de Transmission vem tipicamente para baixo a um ou a mais dos seguintes fatores. 

  • Velocidades de Link: cada vontade da facilidade do centro de dados (ou deva) para ter seu próprio mapa rodoviário da migração, baseado no antecipado necessita da organização e da evolução do infrastructure necessitadas suportá-la. O meio de Transmission deve suporta a velocidade máxima da ligação para as aplicações atuais e futuras.
  • Channel OpEx: Os custos operacionais de devem incluir uma avaliação do pessoal, do processo e das relações do vendedor necessárias suportar o meio de Transmission que está sendo considerado. As potencialidades e as complexidades extensivas de cada tecnologia conduziram ao specialization das habilidades, ao fluency nos padrões e às outras competência do núcleo. Lançar um meio novo de Transmission, sem ter os recursos requisite para controlá-lo, convida o risco aumentado e custos adicionais.
  • ciclo de vida de Infrastructure: idealmente, o infrastructure suporta Generations múltiplo da tecnologia do equipamento a fim evitar um caro rasg-e-substitui.
OM4 ou OM5 (wideband)

Dentro do Landscape multimode, os operadores center de dados são enfrentados com contudo um outro jogo das decisões complexas a respeito de que tecnologia multimode a se desdobrar. A escolha envolve o wideband OM3, OM4 e OM5.

Figura 9: Comparação total da largura de faixa

HSM_WP-110615-EN_Figure_9.jpg

A fibra OM3 optimized laser, foi introduzida tornou-se primeiramente para suportar as ligações 10GbE. Foi estandardizado em 2002 e seu sucessor, OM4, foi estandardizado em 2009. Ambas as fibras multimode optimized para os transceptores de VCSEL que operam-se em 850 nanômetro e ambas usam conectores idênticos. OM4, entretanto, melhora a atenuação e a largura de faixa OM3 excedente.

Para OM3 a atenuação máxima é <> Em conseqüência, OM4 pode suportar umas distâncias mais grandes e o throughput aumentado.

A decisão real, então, está entre OM4 e OM5. Introduzido por CommScope em 2015, OM5 era recentemente ANSI/TIA-492AAAE inferior aprovado e é recomendado por ANSI/TIA-942-B. Um sinal de adição significativo para OM5 é ele realça a abilidade da divisão short-wavelength que multiplexing (SWDM) para medir umas distâncias mais longas. Permite também operadores center de dados de reduzir pelo menos contagens paralelas da fibra por um fator de quatro. Isto significa que, para suportar pistas de 40 Gbps e de 100 Gbps, duas fibras OM5 podem fazer o trabalho de oito fibras OM4. A figura 9 mostra uma comparação da largura de faixa entre fibras do wideband OM3, OM4 e OM4. Adicionalmente, OM5 suporta todas as aplicações multimode do legacy e é compatível com fibra OM3 e OM4. Porque as tecnologias WDM e PAM-4 continuam a se tornar, a abilidade de OM5 de suportar SWDM permitirá a tecnologia de separar-se das fibras multimode do legacy.

Sistemas inteligentes

Os sistemas automatizados da gerência do infrastructure (AIM) podem extremamente ajudar no processo da migração fornecendo traçar exato de camada física e de todos os dispositivos conectados. Porque os sistemas de AIM automaticamente monitoram e documentam todos os portos e fibras no uso, podem ajudar assegurar a capacidade estão disponíveis ao promover de frente e verso à paralela.

Adicionalmente, AIM pode ajudar identificar cabografar em excesso e comutar portos e fazê-los disponíveis para a migração paralelo-à-frente e verso. As potencialidades tais como estes foram articuladas no ISO/IEC 18598 padrão e no EN europeu 50667 do padrão para AIM, ambos ratificadas em 2016. Os benefícios de desdobrar um sistema de AIM-based são ecoados também por TIA porque a organização esboça o padrão ANSI/TIA-5048, que repete, quase verbatim, a língua usada no padrão de ISO/IEC 18598.

Figura 10: Conectores de MPO com contagens variando da fibra

HSM_WP-110615-EN_Figure_10.jpg

A vista de CommScope

Em avaliar as opções e o trajectory do mercado, as seguintes recomendações representam a tomada de CommScope em algumas das edições discutidas neste papel:

  • As soluções MPO-baseadas Preterminated da fibra continuarão a ser a escolha optimal para redes high-performance. Fornecem o desempenho fábrica-terminado excelente, mais a velocidade e a agilidade para suportar as exigências da expansão de confidencial, nuvem-como centros de dados da empresa.
  • Os troncos (ULL) do singlemode ultra low-loss de SYSTIMAX® e da fibra multimode e os conjuntos cabografando realçarão extremamente a sustentação para aplicações de alta velocidade quando manter a flexibilidade suportar TIA 942-B estruturou projetos cabografando.
  • Os sistemas da fibra de MPO 12, que foram desdobrados por anos, continuarão a ser usados na sustentação de aplicações frente e verso e paralelas. O desempenho melhorado de ULL oferecerá a flexibilidade excelente na distribuição e alcançá-la-á para a maioria de aplicações do centro de dados e fornecê-la-á a uniformidade operacional contínua. Espere o uso de sistemas da fibra de MPO 12 continuar como as aplicações futuras emergem.
  • Para aplicações que high-capacity, high-density nós advogamos para o uso de sistemas multimode da fibra de MPO 24. Enquanto spine-e as arquiteturas da folha continuam a se amadurecer, a fibra de MPO 24 permite o aumento na densidade e a capacidade para crescer redes multimode frente e verso. Uma outra vantagem é que MPO24 fornece a sustentação ágil para 8 aplicações paralelas da fibra.
  • Finalmente, nós antecipamos o uso seletivo de sistemas da fibra de MPO 8. Isto inclui o uso em aplicações populares da quatro-pista QSFP com configurações 4X10G ou 4X25G, primeiramente para o armazenamento e os acessórios da rede do usuário. Porque as ligações da tela da rede não requerem os portos da baixo-velocidade dos breakouts, ligações frente e verso da dois-fibra, tais como 100G SWDM4, pode ser uma escolha atrativa para as ligações do interruptor-à-interruptor.

O que quer que sua escolha, soluções de CommScope suporta 8-, 12- e 24 paralelas da fibra e as aplicações frente e verso da dois-fibra que oferecem a sustentação optimal para uma disposição larga de aplicações do centro de dados.

Um pensamento de fechamento

Quando for importante compreender a disposição vasta de opções técnicas e de soluções emergentes, estes devem ser vistos dentro do ConTEXT de seu ambiente específico do centro de dados da empresa. Que é o trajectory da empresa? Como isso afeta a velocidade de exigências da mudança e do scaling no centro de dados? Que o custo total da posse para os vários scenarios da migração está sendo considerado?

Enquanto um centro de dados Manager, recorda, você não tem que ir ele sozinho. A quantidade de pesquisa e de decisões envolvidas pode mente-numbing. Há os vários recursos knowledgeable, tais como CommScope, que têm as soluções e a experiência para lhe ajudar fazer a decisão direita. Leveraging nossos perícia técnica e perspective largo, Together nós podemos ajudar-lhe desenvolver uma estratégia a longo prazo da migração projetada manter seu centro de dados adaptable, capaz e eficiente. Não importa como as coisas rápidas mudam. Nós temos uma visão para o futuro e a perícia começ-o-ar lá.


Fontes

Zonas de 1 construção no mapa rodoviário do Ethernet; A plataforma seguinte; 24 de março de 2016
Exame norte-americano da empresa das estratégias do centro de dados de 2; Pesquisa de Infonetics; maio de 2015
3 Facebook dá lições no projeto da Rede-Datacenter; novembro de 2014
O mercado de 4 Previu-MPO conectores em 40/100GbE; Consultantes de ElectroniCast; dezembro de 2015
5 que pesa os custos e os benefícios de preterminated sistemas fiber-optic; Instalação cabografando & manutenção; 1.° de maio de 2014

Para trás à migração de alta velocidade