As maiores tendências em dispositivos domésticos e aplicativos para 2020

Cheevers_Charles_ektron Charles Cheevers 9 de janeiro de 2020

lttp-Homepage-imageO próximo ano será um ponto de virada para redes principais, equipamento nas instalações do cliente, e tecnologia smart doméstica, que tem estado em andamento há anos. A confluência de tecnologias como DOCSIS 4.0, espectro 6GHz e Wi-Fi 6 está promovendo uma série de novos serviços reais. Sejam velocidades de acesso de 10 Gbps, redes domésticas mais difundidas e poderosas ou assistentes virtuais - uma série de tendências animadoras estão emergindo para melhorar a experiência do cliente e impulsionar novos níveis de capacidade para prestadores de serviço de internet.

A seguir, estão as seguintes mudanças que esperamos ver nos lares em 2020 e 2021:

  • Velocidade de Acesso de Rede de Longa Distância
    • As velocidades aumentarão para 200 Mbps em média, atendendo a novos serviços como jogos na nuvem.
    • As prioridades passarão de: simplesmente atingir velocidades reais mais rápidas, para: obter desempenho de baixa latência para suportar novos serviços de jogos e de realidade virtual.
    • A tecnologia XGS-PON irá oferecer 10Gbps de alta capacidade de transmissão e mais tecnologias de acesso de 10 Gbps começarão a surgir.
    • O novo padrão DOCSIS 4.0 será validado, possibilitando apresentações em laboratório de 10 Gbps em 2021.

CLIQUE PARA TWEETAR: Charles Cheevers da CommScope explica por que 2020 será um ano decisivo para redes fundamentais, como equipamentos nas instalações do cliente e tecnologia smart doméstica.

  • Tipos de Acesso de Redes de Longa Distância (WAN): Ascensão na Banda Larga Fixa Sem Fio
    • A PON - Rede Óptica Passiva e implantações greenfield de rede de fibra continuarão a crescer juntamente com o grande aumento de construção de redes, especialmente para instalações do serviço 5G gNodeB.
    • Oportunidades de Acesso Sem Fio Fixo terão um maior reconhecimento, assim como implantações, tanto no espectro mmwave, quanto em espectro sub 6GHz CBRS 3,5 e também o início do uso de uma frequência agregada em novos dispositivos compatíveis com o 5GNR.
    • Arquiteturas HFC Fiber-deep continuarão ganhando força com mais e mais nodes sendo separados e lançamentos de Arquitetura de Acesso Distribuído (DAA) em redes DOCSIS.
    • As conexões WAN ganharão resiliência com o número crescente de aplicativos exigindo uma disponibilidade maior de acesso WAN.
    • Mais soluções de cabo irão oferecer soluções de redundância LTE/CBRS ou 5G NR.
  • Gateways de Banda Larga Doméstica e Wi-Fi
    • O Wi-Fi 6 será mais adotado por seu desempenho e alcance aprimorados, mesmo em ambientes mistos com Wi-Fi 5.
      • O aumentodo alcance será um fator essencial na utilização de mais extensores de Wi-Fi, especialmente com o Wi-Fi 6.
    • As arquiteturas irão se preparar para a inclusão do espectro 6GHz, com o Wi-Fi 6, emergindo como dispositivos implementados no primeiro semestre de 2021.
      • Os prestadores de serviço irão liderar a utilização do novo espectro possuindo aplicativos de prateleira como multi-AP, vídeo 4K para STB e suporte para jogos de baixa latência.
      • Os Laptops e os headsets de realidade virtual podem ser os primeiros dispositivos eletrônicos de consumo a terem vantagem neste novo espectro clean de Wi-Fi 6.
    • Novos casos de utilização para recursos de ponto de acesso de Wi-Fi surgirão - para detectar movimento, aprimorar aplicativos de radar e imagem com granularidade de movimento mais fina - desde a substituição da funcionalidade do sensor infravermelho passivo até outros aplicativos de monitoramento de saúde e movimento.
  • Decodificador Doméstico - A Transição para Dispositivos de Mídia Inteligentes
    • Os decodificadores básicos evoluirão para a inclusão de voz à distância, speakers e assistentes visuais alavancando a demarcação deste dispositivo em salas de tráfego intenso e capitalizando na tendência da assistência visual.
      • A CommScope denominou essa nova classe de dispositivos como Dispositivos de Mídia Inteligentes ou DMI.
      • Eles oferecerão suporte à novos aplicativos orientados por Aprendizado de Máquina e IA.
    • Os decodificadores de IP Wi-Fi 6 2x2 irão crescer em popularidade, aprimorando o desempenho do Wi-Fi 6 no quesito alcance.
    • O conteúdo de 4K HDR continuará a ter volume de consumo cada vez maior.
      • Atualmente, em média, a taxa de bits de vídeos IP processados é de 4Mbps em casa.
        • Temos um aumento em qualidade a cada ano, mas geralmente é alterado de forma adaptativa devido a problemas de desempenho do Wi-Fi.
      • Em média, as taxas de bits estão crescendo cerca de 400kbps por ano, mas em 2020/2021 haverá uma aceleração para índices mais altos como resultado do aumento do consumo de 4K com plataformas de streaming e vídeos sob demanda liderados pelas operadoras.
    • Veremos a "amplificação" da experiência de vídeo.
      • Unificação da pesquisa e facilidade de integração de novos aplicativos são tópicos importantes aqui.
      • O "Middleware" passará para uma plataforma de entrega de serviços.
    • A entrega de vídeo terá grande utilização de codec AV1.
  • IoT e os Smart Speakers
    • Os principais serviços de AI por voz serão cada vez mais incluídos nas soluções de prestadores de serviço.
      • Há um grande desejo de adicionar assistência de voz em dispositivos desde GW aos PA's, de extensores de Wi-Fi a hubs IoT e também, o decodificador para DMI. 
  • Múltiplos comandos de voz estarão disponíveis nos dispositivos.
    • Os prestadores de serviço irão disponibilizar ao consumidor o assistente de IA da sua escolha - Alexa, Google Assistant, Siri, Cortana, entre outros - mas eles também oferecerão a sua própria “Palavra de Comando” para ofertar habilidades específicas de SP como "Qual é a minha senha do Wi-Fi?" ou "Me mostre a minha conta atual," que será única para a sua oferta de serviço.
  • Os hubs IoT baseados em softwares de terceiros serão integrados aos dispositivos dos prestadores de serviço nas primeiras incursões nas novas iniciativas de SmartHome e Automação Doméstica.
    • O Gateway, Access Point e o DMI servirão como os novos hubs de prestadores de serviço.
    • A experiência IOT estará tanto no app do smartphone quanto na tela da TV da residência.
  • Entrega e Virtual Network Functions para Novos Serviços Domésticos
    • 2020/2021 verão o surgimento de serviços de drop-in em contêiner, onde os aplicativos podem ser direcionados para a residência do consumidor e "deixados" na cadeia de serviços sem precisar atualizar o firmware monolítico.
    • O número de aplicativos de GW e STB será bem menor do que aqueles em smartphones - mantendo os principais serviços como segurança, Fingerprinting do Dispositivo, IoT, detecção de movimento, Wi-Fi RRM e controle dos pais.
    • Auxiliares de baixa latência surgirão para simplesmente serem "deixados" dentro de casa.
    • Novas plataformas de software em contêiner como o Docker e o LXC, assim como plataformas de hardware aprimoradas com maior capacidade MIPS/DRAM e Flash facilitarão essa nova cadência de entrega do serviço.
  • 5G para O Lar e Dentro do Lar
    • A adoção de soluções FWA para 5G NR nas faixas de ondas sub 6GHz e milimétricas crescerão.
    • Haverá mais inovação em torno da habilidade de auto instalar equipamentos FWA no Windows para permitir uma rápida sobreposição dos serviços FWA em relação ao MDU em áreas densamente povoadas.
    • Enquanto o Wi-Fi permanecerá como a solução LAN de conexão doméstica, mais inovação se concentrará em aumentar o percentual de tempo que os usuários de smartphone usam 5G vs LTE em casa, para a satisfação do consumidor nas compras de smartphones 5G.
    • Veremos inovação em torno do repetidor 5G de onda milimétrica e a tecnologia beamforming não apenas para residências, mas por toda a residência, com o surgimento de repetidores 5G internos ou femto células 5G.
  • Aprendizado de Máquina e Modelos de Dados Aprimorados
    • Grandes melhorias na nova Banda Larga e Vídeo Telemetria serão potencializadas por modelos de dados de dispositivo IoT utilizando protocolos como USP e Data Elements.
    • Haverá uma maior transparência do uso do dispositivo e do serviço em casa com muito mais ênfase em desenvolver aplicativos de Aprendizado de Máquina para auto ajuda proativa do consumidor e outras possibilidades de serviço ao consumidor.
      • Com novas exigências de privacidade como GDPR na Europa, todas essas soluções serão desenvolvidas dentro das regras e estruturas dessas novas exigências de privacidade do consumidor.

Como você pode ver, os próximos dois anos serão cheios, à medida em que vemos a implantação no mundo real de nossa tecnologia mais empolgante em andamento. A grande questão para vendedores e operadoras é como fazer investimentos inteligentes para capitalizar nestas grandes mudanças tecnológicas. Nós lhe encorajamos a manter contato para descobrir no que você pode estar à frente e se posicionar para o sucesso. Keep in touch!

Sobre o Autor

Cheevers_Charles_ektron

Charles Cheevers

Charles Cheevers é Diretor de Tecnologia e Soluções em Redes Domésticas na CommScope, líder global em soluções de infraestruturapara redes de comunicação.Ele é responsável pela visão de tecnologia de dois a cinco anos dos negócios de equipamentos nas instalações dos consumidores (CPE) da CommScope.

 

Nesta função, ele define arquiteturas domésticas para dispositivos CPE e soluções da nuvem para a terra, assim como evolução dos gateways domésticos, decodificadores e soluções domésticas conectadas.

 

Em seus mais de 20 anos na indústria de telecomunicações, Cheevers foi responsável por trazer ao mercado uma gama de tecnologias - incluindo DVB, DOCSIS, DSL, Rede PON, CPE Video Voice e soluções de Banda Larga. Nos últimos seis anos, Cheevers se concentrou em entregar a nova geração de conectividade e experiências de usuário em tecnologia para o lar. Como resultado, ele teve um papel fundamental no pioneirismo das principais tendências em Wi-Fi, IoT, vídeoIP, experiência em TV e tecnologia de decodificação e, mais recentemente, soluções inteligentes orientadas por Inteligência Artificial com o lançamento do Dispositivo de Mídia Inteligente da CommScope.

 

Cheevers e sua equipe têm criado novas plataformas domésticas para muitos dos principais prestadores de serviços mundiais. Com o surgimento de novas soluções de convergência sem fio em bandas não licenciadas e licenciadas - de 1 a 100 GHz -, Cheevers e o escritório da Diretoria de Tecnologia da CommScope têm inovado em arquiteturas para convergência wireless doméstica do consumidor através de Wi-Fi, LTE e 5G.

 

Cheevers ingressou na CommScope por meio da aquisição da ARRIS em abril de 2019, onde atuou como Diretor de Tecnologia de Soluções CPE de 2012 a 2019. Ele ingressou na ARRIS em 2003 através da aquisição da Com21 Inc e foi vice-presidente de engenharia dos produtos ARRIS Cadant® C3 ™ CMTS e D5 ™EdgeQAM. Em2006, ele foi nomeado Diretor de Tecnologia da Europa, cargo que ocupou simultaneamente sendo Gerente-geral nos negócios da ARRIS Edge QAM de 2008 a 2010.

 

Antes de sua posse na ARRIS, Cheevers foi Vice-Presidente de Engenharia e funcionário da Com21 Inc e ocupou cargos de gerência sênior na Apple Inc.

 

Cheevers atuou no conselho da Open Connectivity Foundation, uma das principais iniciativas de padrões de IoT, também no comitê organizador da SCTE nos anos de 2018 e 2019 e recebeu os prêmios Cable and Satellite Euro50 de 2006 e 2011 por suas contribuições na área da tecnologia de cabos.